fbpx

Terminação intensiva a pasto – Tecnologia com resultado.

Terminação intensiva a pasto – Tecnologia com resultado.

Por João Costa Junior

Nos últimos tempos a pecuária de corte tem se deparado com um cenário onde o preço pago pela arroba do boi vem crescendo vertiginosamente, sustentado pelo aquecimento das exportações e pela baixa disponibilidade de animais prontos para o abate. Além disso, o mercado consumidor cada vez mais exigente quanto a qualidade da carne, aumentando o interesse por produtos mais naturais, principalmente.

Em um país de tamanho continental como o Brasil, onde 95% da engorda dos animais vem de sistemas a pastos, podemos atender as demandas de mercado e garantir um menor custo para o produtor. Contudo, a produção de animais precoces com carne de alta qualidade e marmoreio em sistemas a pasto não é tarefa tão simples. Por isso, a nova geração de pecuaristas tem buscado a profissionalização dos sistemas de produção, principalmente na fase de engorda, com base em pesquisa e validadas pelos pecuaristas no campo.

O motor de transformação dentro da porteira foi a adoção de tecnologia de processo, insumo e produtos, que tem propiciado saltos de produtividade, forçando a modernização do sistema como um todo.

A terminação intensiva a pasto – TIP é uma modalidade de engorda dos animais para o abate, que traz a proposta do confinamento aplicado a animais a pasto. Essa tecnologia vem trazendo resultados significativos para os pecuaristas que pretendem contornar a baixa disponibilidade de forragem durante a seca e garantir um bom desempenho dos animais na fase de terminação em sistemas a pasto.  

A TIP possibilita o fornecimento de proteína, energia e mineral exigido para a fase de terminação, via suplemento, tendo o pasto como fonte de fibra para a manutenção da saúde ruminal. O ponto chave dessa tecnologia é a terminação ser feita toda a pasto, não sendo necessário a construção de um confinamento. Deste modo, o pecuarista tem um baixo custo de operação, fácil adaptação dos animais, bem estar e permitir a aplicação durante todo o ano.  Os animais recebem entre 1,6 a 2% de seu peso vivo em ração concentrada com o objetivo da deposição de gordura na carcaça.

Mas como nem tudo são só pontos positivos, a TIP tem como desvantagem os problemas já classicamente conhecidos da suplementação a pasto. A mensuração do consumo do suplemento e do ganho de peso dos animais. Nesse ponto que associação de tecnologias entra como um potencializador do uso do TIP.

O uso da solução Intergado Beef potencializa ainda mais os resultados do TIP, pois o monitoramento diário do peso diário do peso e do comportamento animal, possibilita a identificação de falhas de manejo que possam afetar o desempenho do rebanho. Dessa forma, antecipamos as tomadas de decisão. O uso da TIP com a solução Intergado Beef traz grande transformação na fazenda. Visto que ao intensificar a engorda, o pecuarista precisa puxar todo o sistema de produção. Assim, todo o sistema de produção precisará se intensificar para atender a demanda da terminação. Podemos concluir que a TIP e a solução Intergado Beef, por seu dinamismo, são uma opção interessante para aumentar ainda mais a rentabilidade do pecuarista.



Related Posts